|

Meninas que utilizam drogas e álcool são grupo de risco para pensamentos suicidas

De acordo com estudo publicado na Revista Brasileira de Psiquiatria, no grupo dos adolescentes entre 11 e 14 anos de idade, as meninas que utilizam álcool e drogas ilícitas e que sofrem de depressão infantil podem ser mais suscetíveis a pensamentos suicidas. O trabalho é da autoria de Luciano Dias de Mattos Souza, pós-graduado em Saúde e Comportamento da Universidade Católica de Pelotas, e colegas, e foi disponibilizado na edição de março de 2010.

Os autores afirmam no artigo que, para coleta de dados, foi realizado estudo com adolescentes entre 11 e 15 anos de idade, moradores da área urbana da cidade de Pelotas (Rio Grande do Sul). Foram estudados 1112 indivíduos, nos quais foi aplicado questionário com perguntas sobre vida sexual, desempenho escolar, religião e uso de crack, cola de sapateiro, álcool e/ou outras substâncias. Também foi investigada a vontade de se matar.

Os especialistas revelam que "a princípio, uma primeira análise encontrou o sexo feminino, consumo de álcool, hábito de ficar embriagado, uso de tabaco, uso de drogas ilícitas, sintomas indicativos de transtorno de conduta e altos escores para sintomas depressivos associados com idéias suicidas". Eles dizem: "após a análise multivariada, as meninas se mostraram 47% mais propensas a mencionar idéias suicidas que os rapazes. Adolescentes que usaram álcool no último mês aumentaram o risco de declarar idéias suicidas em 64%, e os que declararam uso de drogas ilícitas foram quase três vezes mais propensos ao quadro que os demais".

Para Luciano e colegas, "uma vez que as idéias suicidas e tentativas de suicídio estão associadas com maiores riscos da consumação do ato, e o fato constatado de estudos que sugerem a presença de um possível gradiente de severidade, começando com as idéias suicidas (pensamentos, idéias, planejamento e desejo de se matar), e o ato de realizar tentativas e finalmente consumar o suicídio, intervenções devem ser estabelecidas no estágio inicial desse processo. Dados os resultados desse estudo, estratégias para prevenir comportamentos suicidas em adolescentes jovens devem alvejar principalmente as meninas sexualmente ativas que apresentam sintomas indicativos de problemas de saúde mental e uso de substâncias. De acordo com dados epidemiológicos, países sul-americanos devem dar tanta atenção às questões de saúde quanto os países desenvolvidos, no que concerne à prevenção das idéias suicidas nos primeiros estágios da adolescência".

Postado por Fabrício Marques no(a) sexta-feira, 9 de dezembro de 2011 às 13:17. Categoria: , . Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta postagem através do RSS 2.0. Fique à vontade para deixar um comentário.

Categorias

Comentários Recentes

Últimas Notícias